Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro 15, 2009

Lembranças da Paz (André Luiz )

Reconhecer, - mas reconhecer mesmo, - que trabalhando e servindo estamos, acima de tudo, cooperando em favor de nós próprios.
Perseverança no trabalho de execução dos compromissos que assumimos significa noventa por cem na soma do êxito.
Não desestimar a importância e o valor de pessoa alguma.
Nos instantes de crise, usar o silêncio ao invés do azedume.
Zangar-se com alguém será sempre dilapidar a própria tarefa.
Perdão para as faltas alheias é a melhor forma de alcançar
a desculpa dos outros em nossos próprios erros.
Observar o sinal vermelho para o mal no trânsito das palavras.
Um gesto de simpatia ou gentileza pode ser
a chave para a solução de muitos problemas.
Perfeitamente possível administrar a verdade sem ferir, desde que esteja no bálsamo da bondade ou no veículo da esperança.
Nunca nos esquecermos de que
a paciência favorece o socorro de Deus.

_André Luiz_






A PALAVRA DE JESUS

No Seu semblante havia o resplendor do sol. Algo havia em Sua pessoa que emprestava força às Suas palavras.
Ele falava como quem tinha autoridade. Autoridade sobre todos: Espíritos e homens.
Ninguém que a Ele se comparasse. Os oradores de Roma, de Atenas e de Alexandria eram famosos, mas o jovem Nazareno era diferente de todos eles. E maior.
Aqueles possuíam a arte que encantava os ouvidos. Quando Jesus falava, os que O ouviam deixavam vagar o próprio coração por lugares antes nunca visitados.
Ele sabia falar de forma adequada a cada um. Narrava parábolas e criava histórias como jamais haviam sido narradas ou criadas antes Dele.
O Seu verbo desencadeava- se ora doce, ora enérgico, tal como as estações primaveris e as invernosas sabem se apresentar.
Falava das coisas simples, que todos entendiam, para lecionar as Leis Divinas e arrebanhar os Espíritos…

ELE VEIO

Ele veio e é a "luz do mundo".
Depois Dele nunca mais a treva se fez vitoriosa. Enquanto predominavam a violência, a agressividade, a escravidão dos vencidos, o vilipêndio dos valores morais a benefício da força e do orgulho, Jesus veio ter com os homens. Toda a sua vida constitui até hoje a afirmação do espírito invencível sobre a precariedade das coisas utópicas do mundo. Assinalando com a humildade o Seu berço, demonstrou que cada um é a soma das aquisições pessoais intransferíveis, que se sobrepõem às situações e enganosas distinções da vilegiatura física dos povos.. Nenhum estardalhaço em Seu ministério se registra, privilégio nenhum. Caracterizado pela nobreza e elevação espiritual de que se encontrava investido, propôs o amor como terapêutica para a violência e o viveu integralmente. Nunca traiu o postulado em que alicerçou a sua mensagem de esperança e paz. Deu-se a si mesmo em todos os lances da vida, olvidando-se, intimorato, das próprias conveniências, pensando nas cri…

ALEGRIA

Alegria como experiência de religiosidade é um valor que não tem preço. Essa sensação da alma, mais do que qualquer outra coisa, contagia e abranda o coração dos homens.

            A maioria das pessoas tem uma visão distorcida da alegria, pois a confunde com festas frívolas e divertimentos que provocam sensações intensas, risos exagerados; enfim, satisfações puramente emocionais.

            Aliás, não há nada de errado em ser jovial, bem-humorado, festivo e risonho. Sentir as emoções terrenas inclui-se entre as prerrogativas que o Criador destinou a suas criaturas. Vivenciar a normalidade das sensações humanas é um processo natural estabelecido pelo Mente Celestial.

            Talvez as religiões fundamentalistas tenham mesclado as idéias contidas nas palavras alegria e tentação. Na realidade, o Mestre ensinava a seus seguidores que vivessem com alegria. “Eu vos digo isso para que a minha alegria esteja em vós”, diz Jesus, “e vossa alegria seja plena”.

            A verdadeira alegri…

PARENTESCO E FILIAÇÃO.....( Emmanuel )

Para as criaturas humanas o que significa a vida terrestre?
    Considera-se a Lei Divina por inteligências juvenis, sob o patrocínio da escola, concedendo-nos na vida terrestre, o mais alto campo edificante e reeducativo.

    Qual a conexão entre a consangüinidade, reavemos o convívio de todos aqueles que se nos associaram ao destino, pelos vínculos do bem ou do mal, através das portas benditas da reencarnação.

    Que precisamos para vencer na luta doméstica?
    Devemos revestir-nos de paciência, amor, compreensão, devotamento, bom ânimo e humildade, a fim de aprender e vencer, na luta doméstica. No mundo, o lar é a primeira escola da reabilitação e do reajuste.

    O que foram, em vidas anteriores, os pais despóticos?

    quase sempre os pais despóticos de hoje são aqueles filhos do passado, em cuja mente inoculamos o egoísmo e a intolerância.

    E o filho rebelde?

    O filho rebelde e vicioso é o irmão que arrojamos, um dia, á intemperança e á delinqüência.

    e a filha desati…