27/12/2009

Em favor de voce mesmo

Aprenda a ceder em favor de muitos, para que alguns intercedam em seu benefício nas situações desagradáveis.
*

Ajude sem exigência para que outros o auxiliem, sem reclamações.

*

Não encarcere o vizinho no seu modo de pensar; dê ao companheiro oportunidade de conceber a vida tão livremente quanto você.

*

Guarde cuidado no modo de exprimir-se; em várias ocasiões, as maneiras dizem mais que as palavras.

*

Refira-se a você o menos possível; colabore fraternalmente nas alegrias do próximo.

Evite a verbosidade avassalante; quem conversa sem intermitências, cansa ao que ouve.

*

Deixe ao irmão a autoria das boas idéias e não se preocupe se for esquecido, convicto de que as iniciativas elevadas não pertencem efetivamente a você, de vez que todo bem procede originariamente de Deus.

*

Interprete o adversário como portador de equilíbrio; se precisamos de amigos que nos estimulem, necessitamos igualmente de alguém que indique os nossos erros.

*

Discuta com serenidade; o opositor tem direitos iguais aos seus.

*

Se você considerar excessivamente as críticas do inferior, suporte sem mágoa as injunções do plano a que se precipitou.

*

Seja útil em qualquer lugar, mas não guarde a pretensão de agradar a todos; não intente o que o próprio Cristo ainda não conseguiu.

*

Defrontado pelo erro, corrija-o primeiramente em você, e, em seguida, nos outros, sem violência e sem ódio.

*

Se a perfídia cruzar seu caminho, recuse-lhe a honra da indignação examine-a, com um sorriso silencioso, estude-lhe o processo calmamente e, logo após, transforme-a em material digno da vida.

*

Ampare fraternalmente o invejoso; o despeito é indisfarçável homenagem ao mérito e, pagando semelhante tributo, o homem comum atormenta-se e sofre.

*

Habitue-se à serenidade e a fortaleza, nos círculos da luta humana; sem estas conquistas dificilmente sairá você do vaivém das reencarnações inferiores.

* * *

Francisco Cândido Xavier.
Da obra: Agenda Cristã.
Ditado pelo Espírito André Luiz.
Edição de Bolso. Rio de Janeiro, RJ: FEB, 1999.

SERENIDADE...(Emmanuel)




 
Seja qual for o conteúdo de sofrimento em teu roteiro de provação, acalma-te e espera...
Não agraves o peso de tua dor com o fardo da aflição sem remédio.
Se o desespero te cerca, em ondas asfixiantes de inconformação ou de cólera, exercita a serenidade e faze algo em silêncio que possa amparar as vítimas da revolta; se a ofensa te busca, apedrejando- te o coração, perdoa-lhe as investidas, guardando a serenidade de quem sabe, que a ventania tempestuosa não desloca a harmonia do céu; se a calúnia despeja corrosivo destruidor em tua alma, desculpa-lhe os golpes, conservando a serenidade de quem reconhece no crime doentia manifestação da ignorância ainda em trevas, e, se as lágrimas te caem, ardentes, dos olhos feridos, à face da angústia que te persegue as esperanças e os sonhos, transforma o teu pranto numa prece de amor, cultivando a serenidade, na convicção de que o sacrifício é o caminho real da luz.
Lembra-te do Cristo, a oferecer-te o seu jugo brando e suave.
Ninguém o viu acrescer a cruz das próprias dores, com o peso morto da rebelião ou da crueldade, do ciúme ou da inveja, do revide ou da queixa...
Da serenidade da Manjedoura, segue, amando e perdoando, para a serenidade da cruz, sem jamais trair a dignidade da sua confiança no Pai Excelso, a Quem pertence, em verdade, todos os títulos e as afeições que nos sustentam a marcha.
Serenidade! Serenidade! Será ela em teu passo o selo oculto da humildade vitoriosa que fará mais nobre à vista do Céu, porque então, junto dela, terás aprendido a esperar por Deus em tua luta de cada dia.


Emmanuel/Francisco Cândido Xavier

Reflexão

Aprendi que não posso exigir o amor de ninguém...
Posso, apenas dar boas razões para que gostem de mim ...
e ter a paciência para que a vida faça o resto..




Você tem tudo para ser feliz
E para fazer os outros também felizes
Acredite em você.
 

FECHADO PARA BALANÇO



 Quando chega a noite, repousamos nossa cabeça a fazemos um balanço do que foi nosso dia. No fim do mês fazemos balanço das nossas contas...e quando o ano se finda, costumamos refletir sobre o que foi nosso ano.
Fechamos pra balanço.
 Começamos a puxar pela memória para trazer à tona tudo o que nos aconteceu nesse último ano.
Talvez tenhamos passado por momentos difíceis, dolorosos mesmo onde, muitas vezes chegamos a nos perguntar sobre o sentido de nossa vida. Mas o passar dos dias acabou amenizando esse sentimento. Porque o tempo, se passa rápido ou lentamente, ameniza todas as coisas. E é curioso como, mesmo revivendo na memória, as coisas já não fazem mal como antes... naquele momento de dor, tínhamos a certeza absoluta que isso jamais passaria.
 Sofremos perdas irreparáveis, dessas que não é possivel voltar atrás, por mais que tentemos. Mas ganhamos em experiência.
E, entrelaçados a esses momentos de tristezas, houveram as alegrias. Desses momentos em que desejamos que o relógio do tempo pare. Uma onda de emoção nos invade ainda, um sorriso aflora e temos a impressão que nosso rosto se ilumina... é importante trazer esses momentos sempre vivos para que nos ajudem quando a maré estiver baixa.
E nesse mar da vida, onde nadamos e fomos levados, chegamos, finalmente, ao porto do próximo ano. Sobrevivemos e, malas prontas e cheias de experiências, nos preparamos para uma nova embarcação. Talvez nova direção.
Mas, olhando o que passou, nessa contabilidade de momentos vividos, pesando os prós e os contras, chegamos à conclusão que o saldo final é positivo. Todos os que chegamos até aqui temos saldo final positivo, mesmo se durante o ano as coisas negativas tentaram nos afetar. Se não fosse assim, não teríamos chegado até aqui.


E vamos começar o novo ano com o um grande presente desse Deus Pai que esteve conosco durante todo esse ano: uma nova oportunidade!
Temos nas mãos a chance de recomeçar, reconstruir. Nem todos tiveram, mas a nós está sendo dada essa ocasião. Somos privilegiados. E nesse novo ano, mesmo se não podemos ser pessoas novas, podemos nos sentir pessoas renovadas, fortes o bastante para sobreviver às provações, fortes o bastante para conquistar novas vitórias.


http://www.leticiathompson.net/Fechado_pra_balanco_LT.html


Anjo da guarda




"  Espíritos protetores nos ajudam com os seus conselhos, através da voz da consciência, que fazem falar em nosso íntimo - mas como nem sempre lhes damos a necessária importância, oferecem-nos outros mais diretos, servindo-se das pessoas que nos cercam." Allan Kardec
"Os anjos guardiães são embaixadores de Deus, mantendo acesa a chama da fé nos corações e auxiliando os enfraquecidos na luta terrestre." Joanna de Ângelis (espírito) / psicografia de Divaldo Franco



Anjos de Guarda
Quem cuida de seu filho quando ele não está sob seus olhos?
Você diz que, na escola, os professores são os responsáveis; que em seu lar, você tem uma babá igualmente responsável.
Enfim, você sempre acredita que alguém, quando você não estiver por perto, estará de olho nele.
Parentes, amigos, contratados à parte, há, também, uma proteção invisível que zela por seu filho.
Você pode dizer que é seu anjo de guarda, seu anjo bom. A denominação, em verdade, não importa.
O que realmente se faz de importância é esta certeza de que um ser invisível debruça sua atenção sobre seu filho, onde quer que ele esteja.
E também sobre você. Não se trata de uma teoria para consolar as mães que ficam distantes de seus filhos longas horas.
Ou para quem caminha só nas estradas do Mundo. Refere-se a uma verdade que o homem desde muito tempo percebeu.
Basta que nos recordemos de gravuras antigas que mostram crianças atravessando uma ponte em mau estado, sob o olhar atento de um mensageiro celeste.
Ou que evoquemos o livro bíblico de Tobias, onde um anjo acompanha o jovem em seu longo itinerário, devolvendo-o ao pai zeloso, são e salvo.
É doce e encantador saber que cada um de nós tem seu anjo de guarda. Um ser que lhe é superior, que o ampara e aconselha.
É ele que nos sussurra aos ouvidos: “Detenha o passo! Acalme-se! Espere para agir!”
Ou nos incentiva: “Vá em frente! Esforçe-se! Estou com você!”
É esse ser que nos ajuda na ascensão da montanha do bem. Um amigo sincero e dedicado, que permanece ao nosso lado por ordem de Deus.
Foi Deus quem aí o colocou. e ele permanece por amor de Deus, desempenhando o que lhe constitui bela, mas também penosa missão.
Isso porque em muitas ocasiões, ele nos aconselha, sugere e fazemos ouvidos surdos. Ele se entristece, nesses momentos, por saber que logo mais sofreremos pela nossa rebeldia.
Mas não afronta nosso livre-arbítrio. Permanece à distância, para agir adiante, outra vez, em nova tentativa.
Sua ação é sempre regulada, porque, se fôssemos simplesmente teleguiados por ele, não seríamos responsáveis pelos nossos atos.
Também não progrediríamos, se não tivéssemos que pensar, reflexionar e tomar decisões.
O fato de não o vermos também tem um fim providencial. Não vendo quem o ampara, o homem se confia a suas próprias forças.
E batalha. Executa. Combate para alcançar os objetivos que pretende.
Não importa onde estejamos: no cárcere, no hospital, nos lugares de viciação, na solidão, ele sempre estará presente.
Esse anjo silencioso e amigo nos acompanha desde o nascimento até a morte. E, muitas vezes, na vida espiritual.
E mesmo através de muitas existências corpóreas, que mais não são do que fases curtíssimas da vida do Espírito.
Pense nisso!
Você pode ter se transviado no Mundo. Quem sabe, perdido o rumo dos próprios passos.
Pense, no entanto, que um missionário do bem e da verdade, que é responsável por você, pela sua guarda, permanece vigilante.
Se você quiser, abra os ouvidos da alma e escute-o, retomando as trilhas luminosas.
Ninguém, nunca, está totalmente perdido neste imenso universo de almas e de homens.

Pense nisso!

Redação do Momento Espírita, com base nos itens 492, 495 e 501 de O livro dos espíritos, de Allan Kardec, ed. FEB.

Oração Do Perdão