08/07/2010

M O C I D A D E

                                                      

Mocidade é força.
Mas, se a força não estiver sob a direção da justiça, pode converter-se em caminho para loucura.

Mocidade é poder.
Entretanto, se o poder não aceita a orientação do bem, depressa se converte em tirania do mal.

Mocidade é liberdade.
Todavia, se a liberdade foge à disciplina é, invariavelmente, a descida para deplorável situação.

Mocidade é chama.
No entanto, se a chama não sofre o controle do proveito justo, em breve tempo, se transformará em incêndio devastador.

Mocidade é carinho.
Mas se o carinho não possui consciência da responsabilidade, pode ser veneno mortal para o coração.

Mocidade é beleza da forma.
Contudo, se a beleza da forma não se enriquece com o aprimoramento interior, não passa de máscara perecível.

Mocidade é amor.
Entretanto, se o amor não se equilibra na sublimação da alma, cedo se transforma em paixão infeliz.

Mocidade é primavera de sonhos.
Todavia se a primavera de sonhos não se enobrece no trabalho digno, todo o nosso idealismo será, simplesmente, um campo de flores mortas.

Se fé encontraras, na hora radiante da juventude, não te esqueças de que o tempo é nosso julgador implacável.
A plantação de agora, será a colheita, de depois.

Nossas esperanças, dia a dia, se materializam nas obras a que nos destinamos. A lei será, sempre, a lei.
Povoam-se e despovoam-se berços e túmulos, para que o espirito, divino caminheiro através da mocidade e da velhice do corpo terrestre desenvolva, em si, as asas que o transportarão ao cimo da vida eterna.

Assim, pois, se realmente procuras a felicidade incorruptível, confia o teu coração e a tua mente ao Cristo Renovador, a fim de que, jovem hoje, te faças, amanhã, o caráter sem jaça que lhe refletirá, no mundo, a Divina Vontade.

EMMANUEL
Psicografia de Francisco Cândido Xavier.

FALA EM PAZ




Justo lembrar: a voz humana está carregada de vibrações.

Esforça-te por evitar os gritos intempestivos e inoportunos.

Uma exclamação tonitroante equivale a uma pedrada mental.

Se alguém te dirige a palavra em tom muito alto, faze-lhe o obséquio
de responder em tom mais baixo.

Os nervos dos outros são iguais aos teus: desequilibram- se facilmente.

Discussão sem proveito é desperdício de forças.

Não te digas sofrendo esgotamento e fadiga para poder lançar frases
tempestuosas e ofensivas; aqueles que se encontram realmente cansados
procuram repouso e silêncio.

Se te sentes à beira da irritação, estás doente e o doente exige remédio.

Barulho verbal apenas complica.

Pensa nisso: a tua voz é o teu retrato sonoro.

Do livro Calma - Emmanuel, psicografia de  Francisco Cândido  Xavier

CONTROLAR O PENSAMENT0



Não dês os teus espaços mentais para os pensamentos vulgares.
Preenche todas as brechas com idéias de edificação, da ação do bem, da felicidade própria e alheia.
É na mente que se iniciam os planos de ação.
A mente ociosa cria imagens infelizes que se corporificam com alto poder de destruição, consumindo quem os elabora e atingindo as outras pessoas.
Luta com vontade para que a “hora vazia” não se preencha de lixo mental
tornando-te infeliz ou vulgar.

Autor: Joanna de Ângelis (espírito)
Psicografia de Divaldo Franco. Do livro Seja Feliz

Oração Do Perdão