02/09/2010

Não deixe o estress pegar você


Jovens e adolescentes também podem ser vítimas da carga excessiva de estresse.
Muitas pessoas dizem que a vida dos jovens é tão fácil que é impossível termos estresse. E quando um adolescente reclama que está estressado, logo ouve que é exagero. Mas não é verdade: as reações físicas e sintomas relacionados com o estresse excessivo aparecem também em jovens e adolescentes

Isso acontece porque a juventude é um período em que enfrentamos muitas situações novas - como o primeiro beijo, começar a namorar, aprender a dirigir, escolher uma profissão, entrar na faculdade, entre outras. Dependendo da estrutura física e emocional de cada um, esses acontecimentos podem trazer uma significativa carga de estresse.

"O estresse não é uma doença. Trata-se de uma percepção do organismo para lidar com situações aparentemente ameaçadoras. É uma resposta a um determinado estímulo e, até por isso, varia muito de pessoa para pessoa", diz a psicóloga Anelise Hauschild Mondardo, coordenadora de uma pesquisa científica sobre o estresse na juventude, realizada em 2004.

E mais: pode parecer estranho, mas um pouco de estresse é necessário para a manutenção da saúde física e emocional. Afinal, ele é uma reação física fundamental, que nos ajuda a sobreviver diante dos estímulos e necessidades que a vida nos apresenta.

Porém, quando a quantidade de estresse é maior do que estamos preparados para suportar, ele não fará bem algum à nossa saúde. Então é preciso tomar algumas providências.

Estressado, eu?

A pesquisa coordenada por Anelise acompanhou 192 estudantes universitários (do primeiro semestre de faculdade) e apontou que 73% deles apresentavam sintomas do estresse excessivo em algum nível. Ou seja: o mal está mais presente entre os jovens do que talvez se imagine.

Perceber os sinais é relativamente simples: há a diminuição da capacidade de concentração e memorização, aumento de tensões físicas e psicológicas, perda de entusiasmo e o aparecimento de distúrbios de ordem moral e emocional como depressão, sensação de desamparo e diminuição da auto-estima.

Para lidar com tudo isso, a psicóloga aponta caminhos. "A pessoa que se defronta com um problema ou desafio precisa enfrentá-lo. Acertando ou errando, ela terá como realizar novos aprendizados, fundamentais para a manutenção de seu equilíbrio físico e emocional. Por isso é importante saber, por exemplo, lidar com as próprias frustrações".

A prevenção começa com hábitos saudáveis!

Uma boa maneira de tentar prevenir o excesso de estresse é adotar hábitos saudáveis. Ter uma alimentação equilibrada, praticar exercícios físicos regularmente e reservar um tempo para descansar e se divertir é fundamental para quem quer viver bem. Além disso, cultivar amizades e os laços familiares ajuda a manter corpo e mente saudáveis.

Portanto, pare e olhe para você. Tente perceber se o estresse excessivo está se manifestando em seu corpo. Cuide-se mais e procure um profissional especializado se achar necessário. Afinal, estresse em excesso não combina nada com saúde!

*Anelise Hauschild Mondardo é psicóloga, Mestre em Psicologia Clínica (PUCRS), professora do curso Formação em Psicoterapia do Instituto Fernando Pessoa / Poá e do curso de psicologia da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), Campus de Frederico Westphalen. Também desenvolve assessoria em psicologia escolar e institucional, além de atendimento psicoterápico a crianças, adolescentes e adultos.

Oração Do Perdão