Pular para o conteúdo principal

MODERAÇÃO NA BOCA


Um dia meu Mestre ND me deu uma missão: "Saul, analise as pessoas de sucesso nos Estados do Sul do Brasil.

Depois faça o mesmo em cada uma das outras regiões.

Apresente-me um relatório de suas conclusões".

Fiz uma relação das pessoas que achei conveniente analisar. Procurei entender suas raízes familiares; se eram herdeiros, se tinham construído por si próprios, com seu esforço e competência, os seus bens.

Se tratava-se de imigrantes, descendentes destes ou brasileiros natos.

E assim fui fazendo até concluir o trabalho.

Quando entreguei o relatório para o Mestre, ele, sem ler, me disse:

"Agora estude os imigrantes ou os descendentes de Japoneses que fizeram sucesso no Brasil".

Lá fui eu na direção das cidades que possuem maior número de Isseis, Imigrantes; Nisseis, Filhos; Sanseis, Netos e Yonseis, Bisnetos.

Repeti a dose de minha receita pessoal para procurar entender a origem do sucesso destas pessoas.

Uma coisa posso afirmar: nenhuma das pessoas analisadas teve sorte.

É comum em todos eles muito, mas muito trabalho.

Ninguém conseguiu obter ótimos resultados sem que tenha sacrificado um domingo, ou até anos sem saber o que era tirar férias, ou mesmo sem uma dose peculiar de determinação.

Acreditar em seus sonhos foi algo importante para cada um deles.

Poucos aumentaram seu patrimônio quando sua origem estivera calcada em heranças... Muito bem.

Concluído o trabalho entreguei ao Mestre a segunda etapa.

Sem olhar ele me disse: "Muito bom o seu trabalho.

Acompanhei seus estudos e vejo que você esqueceu de perceber duas coisas que diferenciaram os Japoneses - e seus descendentes - dos brasileiros.

E por que somente um grupo pequeno de Japoneses faz sucesso comparando com a quantidade enorme de brasileiros?

_Saul, a cultura Japonesa exige MODERAÇÃO NA BOCA. Brasileiro fala demais.

Fofoca demais. Conta demais. Brasileiro deduz muito também.

Deduzir é ruim porque o acerto na dedução é ínfimo.

Bem, agora aprendeu né? Desejo-te muita, muita, muita, boa sorte"...Foi um excelente "curso" de Moderação na Boca.

Obviamente antes eu já havia estudado sobre a força da palavra e também dos pensamentos, que podemos classificar como "achometros".

Pensamentos "achometros" são aqueles que as pessoas utilizam para analisar uma história ou um objetivo.

Normalmente, para "apodrecerem" os objetivos com más energias.

Portanto, se queremos que nossa vida tenha sucesso, a primeira coisa é guardar segredo de nossos objetivos.

Existem cidades onde o segredo é coisa que se mistura com o Saci Pereré, o Super Homem, o Chapeuzinho Vermelho, portanto é LENDA.

Quanto mais politizada for sua cidade, menor é a sua chance de manter um segredo.

Na política a informação é tudo. Isso posto, as pessoas convivem e necessitam do segredinho.

É com ele que eles adubam os relacionamentos.

Aqui em Florianópolis o transito fica caótico com qualquer acidente.

Os demais veículos ficam olhando a placa do carro para saber se conhecem o condutor para depois poderem contar aos outros o que aconteceu.

Fico pensando como seria a vida em Brasília!

A vida é cheia de surpresas, mas, por outro lado, é simples de ser encarada.

Temos que tomar decisões a cada segundo. Neste exato momento você não percebe que seus olhos piscam...

Neste exato momento você não percebe que julga o texto... Neste exato momento você já definiu se gostou ou não de minhas palavras... Neste exato momento tem alguma coisa para contar para alguém.

Este é o grande obstáculo que precisamos superar: Moderação na Boca!!

Outro grande problema é o não sabermos como produzimos a energia em nossas vidas e assim esquecemos de lhe dar o devido valor.

Mas, sem dúvida alguma, o maior estrago que fazemos em nós mesmos é não termos moderação com as palavras que brotam pela nossa boca.

A palavra é como uma flecha, depois de disparada, o estrago, ou o acerto no alvo, é inevitável. Poucas pessoas estão preparadas para entenderem, aceitarem e gostarem de nosso sucesso. Portanto uma vida feliz EXIGE Moderação na Boca!!!!

O caminho para nos tornarmos sábios passa, necessariamente, pelo habito de somente expressarmos palavras adequadas em tempo e em local certos.

Beijo na alma
Saul Brandalise Jr. é colaborador do Site, autor do livro: O Despertar da Consciência da editora Theus, onde mostra através das narrativas de suas experiências como extrair lições de vida e entusiasmo de cada obstáculo que se encontra ao longo de uma vida.VISITE SEU SITE.Email: sbj@tvbv.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Clarice Lispector

Já escondi um AMOR com medo de perdê-lo, já perdi um AMOR por escondê-lo. 
Já segurei nas mãos de alguém por medo, já tive tanto medo, ao ponto de nem sentir minhas mãos. 
Já expulsei pessoas que amava de minha vida, já me arrependi por isso. 
Já passei noites chorando até pegar no sono, já fui dormir tão feliz, ao ponto de nem conseguir fechar os olhos.
Já acreditei em amores perfeitos, já descobri que eles não existem.
Já amei pessoas que me decepcionaram, já decepcionei pessoas que me amaram.
Já passei horas na frente do espelho tentando descobrir quem sou, já tive tanta certeza de mim, ao ponto de querer sumir.
Já menti e me arrependi depois, já falei a verdade e também me arrependi.
Já fingi não dar importância às pessoas que amava, para mais tarde chorar quieta em meu canto.
Já sorri chorando lágrimas de tristeza, já chorei de tanto rir.
Já acreditei em pessoas que não valiam a pena, já deixei de acreditar nas que realmente valiam.
Já tive crises de riso quando não podia.
Já quebrei pratos,…

Oração Do Perdão

Oração do PerdãoA partir deste momento, eu perdôo todas as pessoas que de alguma forma me ofenderam, me injuriaram, me prejudicaram ou me causaram dificuldades desnecessárias. Perdôo, sinceramente, quem me rejeitou, me odiou, me abandonou, me traiu, me ridicularizou, me humilhou, me amedrontou, me iludiu. Perdôo, especialmente, quem me provocou até que eu perdesse a paciência e reagisse violentamente, para depois me fazer sentir vergonha, remorso e culpa inadequada. Reconheço, que também fui responsável pelas agressões que recebi, pois várias vezes confiei em indivíduos negativos, permiti que me fizessem de bobo e descarregassem sobre mim seu mau caráter. Por longos anos suportei maus tratos, humilhações, perdendo tempo e energia, na tentativa inútil de conseguir um bom relacionamento com essas criaturas. Já estou livre da necessidade compulsiva de sofrer e livre da obrigação de conviver com indivíduos e ambientes tóxicos. Iniciei agora, uma nova etapa de minha vida, em companhia de gent…

Como atrair coisas boas - Abra sua mente